segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

A Primeira Crônica.


Não foi triunfal. Nem tinha porque ser. Mas foi bom. Respondi uma pergunta e comecei assim a escrever a primeira crônica do ano, via mensagem de texto.
Ir à Ponta Negra não foi fácil. O destino era o de muitos nas últimas horas de 2010. O transito nas ruas próximas à praia estava uma bagunça e chegamos com uma chuva torrencial.
Algumas pessoas corriam com a roupa colada no corpo; outras aceitavam a chuva, simplesmente. O tempo e o dinheiro gastos no salão de beleza foram-se com o rápido temporal. Coisa sem nexo fazer escova para um Reveillon na praia!
Chegamos ao hotel com pouco ou quase nenhum dano. A alegria veio nem sei de onde, mas ficou comigo. O local, a música e as companhias ajudaram a mantê-la. Não focar em desejos impossíveis, também.
A chuva passou e o ano com ela. De onde estava vi bem os fogos de artifícios desde o Morro do Careca até a Ponte Newton Navarro. Nada tão espetacular. A queima de fogos durou pouco, mas não me importei. Não estava em Copacabana, afinal, e nem ali para reclamar.
Foi bom ver tanta gente de branco na beira da praia esperando 2011 e o mar esplendoroso à minha frente. Fui contagiada pela esperança que emanava dos que disputavam a praia um pouco abaixo.
Desci para levar flores a Iemanjá, rezando a Nossa Senhora, que a mim é mais próxima. Driblei a multidão e encarei as ondas que vinham indisciplinadamente de todos os lados.
Não sabia se jogava as flores ou se pulava as sete ondas e fiz tudo de uma só vez. Lá pela sexta o mar me invadiu roupa e pele. Na sétima, molhada e sem me decidir entre segurar o vestido e não cair, soltei o último ramo e disparei a rir. Acho que isso se aproxima um pouco do que chamam estado de graça. Nada triunfal. Simplesmente um bom começo de ano. Ainda deve haver uma flor na beira mar.

3 comentários:

Uma PROFESSORA apaixonada.... disse...

Vou te confessar uma bobeira,... morro de inveja de Iemanjá,.. como recebe floresssss... eu até hoje só recebi da minha segunda mãe... meu sonho é encontrar um namorado romântico que me mande flores.... kkkkkkkkkkkkkk
Que o ano de 2011 seja fantástico.... perfeito.... fabuloso!!!
beijossss

Anônimo disse...

uma crônica belìssima, Vequi!

A profa apaixonada aì acima diz morrer de inveja de Iemanjá, e eu morro de inveja do modo em que vcs, brasileiros, recebem o ano novo...que é um modo de estar juntos, mas também a sós...lindo mesmo!
beijao!

Laura

Evelyne Furtado. disse...

A quantidade de flores é tanta que ela devolve, rsrs. Mas é bonito mesmo, Laurita e você abordou um detalhe que não percebemos. Beijos e obrigada. Feliz 2011 para vocês.