sábado, 25 de outubro de 2008

EU PERDI A VONTADE DE GRITAR.



Despeço-me da mágoa e das nossas lembranças. Recolho-me. Aceito a atual situação sem espernear.

Será que passei do ponto?

Será que amadureci a ponto de cair?

A fase é estranha, mas não caí. Apenas me deitei à beira do riacho e perdi a vontade de gritar. Gosto do burburinho da água que passa.

A água sempre me renova, seja no mar, nos rios, nos lagos, nas piscinas ou mesmo numa deliciosa ducha descendo pelo meu corpo inteiro.

Daqui de onde estou não tenho vontade de levantar. É tão aconchegante, tão calmo, tão distante.

Esqueci alguns alguns números de telefones e todos os dia reflito se vale à pena procurá-los. Anoitece sem que eu tenha chegado a uma conlusão.

Tenho um aparelho comigo para receber ligações de quem quer me encontrar. De quem quer saber como estou. De quem se interessa pelo meu bem-estar. Através dele também sei a quem chamar.

Sair do espetáculo e dar de cara com a vida real é desagradável. Era muito mais fácil quando eu insistia no mesmo drama e não aceitava a cortina se fechando.

Também seria mais fácil mudar a fonte de ilusão fingindo acreditar nas mesmas falas, porém esse fingimento seria como o do poeta e doeria como se a dor fosse real.

Assim, fico aqui na margem do riacho. Um dia faz sol e nele me aqueço; em outro chove e me encolho de frio. Um dia canto e danço; em outro me escondo.

As águas, porém, continuam cantando em meus ouvidos e lavando os restos da festa de ontem para que eu possa receber melhor quem chegar.

Evelyne Furtado, outubro de 2008.

* Imagem da web.

4 comentários:

Laura disse...

Lindo texto Vequinha.Transmite a paz de quem parou para reservar o grito para quando for de alegria.

mil beijos!!!

Evelyne Furtado disse...

E tomara que esse grito venha logo, Laurita!
Já fico feliz com você aqui.
Beijão, amiga!

AnadoCastelo disse...

Minha querida continue deitada junto a esse riacho até sentir que se pode reerguer. Vai ver que muito em breve terá novas experiências, novos contactos e que ainda será muito feliz.
Beijinhos

Evelyne Furtado disse...

Obrigada pela leitura e pelo carinho Ana. Você sempre me traz traz energia boa.
Bjs