sábado, 24 de maio de 2008

Dispo-me.


Dispo-me
a despeito de toda timidez
vence a força interior
de ter tuas mãos em minha tez.

Ganha-me a sede,
quando ao teu olhar faminto,
exponho-me ao reflexo
e sou inteiramente instinto.

Rendo-me completamente
à força maior que conheço:
amor, prazer, plenitude
sem fim, sem meio, sem começo.

2 comentários:

AnadoCastelo disse...

Uau! Não tenho palavras. Está lindo este seu poema. Vou tentar memorizar.
Beijinhos

Evelyne Furtado disse...

Obrigada, Aninha!
Vou escrevendo o que sinto e às vezes gosto muito pq o texto sai exatamente como queria.
Você é um amor!
Bjs