sábado, 12 de abril de 2008

Coragem e Medo de Amar



Que coragem, a sua,
me deixar só
após tanto me amar.

Eu, medrosa assumida,
não fujo da vida
quando é o amor a chamar.

Se ao te ver partir
chorei todo o mar
sinto orgulho por me permitir (te) amar.

2 comentários:

AnadoCastelo disse...

Será que ele merece todo esse amor?
Beijinhos

Evelyne Furtado disse...

Será? Como saber? hehe
Beijos, Ana!