quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Outra Vez.




Faço-me cinzas na quarta
Quando recolho garras e lágrimas
Resguardo-me em uma taça
Onde reflito, repouso e aguardo.
Bebo-me, como se vinho fosse.
Renasço outra vez:
Mulher inteira.

6 comentários:

RASCUNHOS -Yasmine Lemos disse...

Evelyne,
obrigada pela visita no Rascunhos,estou aqui encantada com seus poemas e sua sensibilidade.
ja está nos meus favoritos.
bj
p.s: agora vou ficar passando...

Evelyne Furtado disse...

Que bom, menina!
Adorei o seu e passarei lá sempre, pois também me encantei com a delideza do seu texto.
Bj

Anônimo disse...

Vego empujado por la página de Yasmine y quedo anonadado con la belleza de tu último post. Mi enhorabuena por tu excepcional sensibilidad.
Un saludo.


www.joseluisalvarezgago.es

Evelyne Furtado disse...

Obrigada, José Luís. Estou feliz com sua visita e comentário.
Volte, ok?
Abraço.

FRANCISCO PINZÓN BEDOYA disse...

Suena y tiene ritmo Me gusta todo el humor que hay en tus poemas

saludo
desde Medellín, Colombia

Evelyne Furtado disse...

Gracias, Francisco. Gostei de você ter percebido humor nos meus poemas. Volte a esta página, ok?
Abraços.