segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Delirei?


Os desconfortos causados por uma gripe me lembram Drummond. O poeta falou sobre essa chatice em uma crônica que li há muito tempo. Só mesmo Drummond para transformar coriza, mal-estar, tosse e febre em algo inesquecível.
Recordo mesmo que li esse texto na casa de Ponta Negra, quando ainda era praia de veraneio e não um bairro ao fim da Via Costeira.
Não estou diminuindo Ponta Negra. Longe de mim tal feito. É impossível reduzi-la. Estão fazendo uma campanha para que os natalenses voltem a frequentá-la, pois hoje é mais visitada por turistas. Na semana passada prendi a respiração como sempre ao chegar lá.
Continua linda, mas não é a mesma da minha infância. Também eu não sou a mesma. Ponta Negra se transformou lá e eu cá. Muitos sonhos ficaram entre suas areias e as águas mornas daquele mar. Muitos vieram depois. Alguns realizei em outras costas. Uns ainda resistem.
Há um caminho diverso para chegar a Ponta Negra e nele vejo os Ipês. Eu adoro Ipês. Nessa época do ano eles florescem em amarelo, roxo, branco e rosa. Escapam sobre os muros e eu me encanto. Transgridem lindamente e meus olhos festejam suas cores.
Lacrimejo. É a gripe que insiste em se fazer presente quando eu tento fugir dela escrevendo sobre coisas que gosto. Minha cabeça pesa. Preciso ficar boa logo. A culpa é do clima.
Minha filha me fala em um Buganville. Buganville não é Ipê? Não sei, mas parece ser. Em Lisboa tem Jacarandá. Na praia da Pipa têm Ipês. São lindos. Os caules são diferentes, mas as flores são iguais. Ou quase. Sou péssima em botânica. Podem falar. Vou perguntar a minha mãe ou a tia Socorro, que tem um jardim lindo. Elas entendem de plantas. Eu só entendo de sonhos.

4 comentários:

Uma PROFESSORA apaixonada.... disse...

De sonhos e de escrever.....
Como gosto de te visitar!!!!
Mil beijos,
Lu

Evelyne Furtado. disse...

Obrigada, Lu! Retorne.
Beijos

AnadoCastelo disse...

Oi amiga,
Espero que já esteja boa. Por aqui também anda tudo na mesma com a passagem para o Outono, quase Inverno. Que é feito de si? Eu cá vou indo na vidinha do costume, sem me esquecer da menina. Tenho andado atarefada desde que o maridão foi operado. E ainda por cima caiu-me esta semana e tem andado cheio de dores, mas já está melhor. Além disso, tenho a netinha na escola aqui ao pé de casa e ocupa-me ainda mais. A ver se consigo ir até ao msn para falarmos um bocadinho, pois já tenho saudades de nossas conversas.
Um beijinho e as melhoras
Ana do Castelo

Evelyne Furtado. disse...

Estou melhor, Aninha! Também sinto saudade. Fiquei feliz com seu contato. A gente se fala qualquer hora.Obrigada e beijos para a família toda.