domingo, 15 de março de 2009

UMA ROSA.


Você me deu uma rosa linda e mais uma vez viu o brilho nos meus olhos. Você vai dizer que não foi bem uma flor que me ofereceu e eu vou teimar como sempre faço. Foi uma rosa, sim.

Eu não me enganaria, pois estava escrito com as quatro letras que a designa e outras tantas palavras confirmando que o presente que você me deu era uma rosa sensível, bela e impermanente. Tal como o amor.

Foi isso que o fez lembrar de mim e que amplia o significado do presente. Você conhece frente e verso de mim.Você sabe até onde sou capaz de ir e diz que eu pareço uma adolescente.

A propósito, pensei muito sobre isso. Lembrei que outras pessoas nos últimos dias duvidaram da minha idade e pasme, fui além da vaidade, questionando minhas atitudes.

Será que sou tão imatura assim? Será que meu comportamento não é adequado à mãe de uma arquiteta que tem a idade que eu tinha quando casei? Não achei as respostas adequadas. Nenhuma delas me convenceu.

Acontece que coração não tem rugas. Essa frase ouvi minha dizer a uma amiga no telefone há algum tempo e hoje faz todo sentido. O meu coração tem cicatrizes, mas aposto que tem menos rugas do que o meu rosto. Talvez seja o motivo de parecer uma adolescente aos seus olhos.

Um coração só envelhece quando perde a capacidade de sonhar e o meu não perdeu. Por isso você me deu uma rosa: eu guardo um sonho bonito e você faz parte dele.

2 comentários:

Celamar Maione disse...

Fazia um tempo que eu não fazia uma visita a minha amiga romântica, Evelyne.
É tão bom no final de domingo ler palavras tão suaves e cheias de amor.
Sonhe sempre !
Sonhar não custa nada.
Sonhar significa vida !
Intensidade. E você é uma pessoa intensa.
Como dizia Cartola : " As rosas não falam / simplesmente as rosas exalam/....
Boa semana
Bjs

Evelyne Furtado disse...

Oi, Cel! É bom receber sua visita, nessa tsunami romântica, amiga! Já fui lá Literário , mas comentei o caso do Neves na C-Se.
Beijão