quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Mais Sobre A Paz.




Se dependesse de mim não haveria guerras. Nem briga de rua haveria. É instintiva, em mim, a conciliação. Incomoda-me a desavença entre irmãos.

Não consigo imaginar-me pegando em armas por ideal, amor ou território. Eu não consigo matar simbolicamente uma pessoa dentro de mim, quanto mais tirar a vida de alguém.

Sei por que lutam palestinos e judeus, mas saber não me basta para compreender. Há maneiras de solucionar problemas sem o uso de armas. A morte de inocentes pode até ser justificada, mas nunca aceita.

Perco o freio e falo o que sinto. É verdade. Não finjo, nem calo. Porém, peço desculpas quando me excedo.

Há uma distância enorme entre palavras e atitudes, entre ofensas verbais e tiros, entre dizer e fazer.

Não sou santa. Nem chego perto da santidade. Reajo quando me ferem. Se fosse santa não amaria como amo e estaria na Cruz Vermelha ajudando a salvar vidas.

Aprendo a não carregar culpas que não são minhas, pois com as minhas já lido com angústia. Conheço bem a fragilidade dos meus ombros, que não sustentam as dores de mães desesperadas.

Fecho os olhos às cenas de violência, pois nada posso fazer para evitá-las. Se pudesse faria.

Também não entendo o tal Acordo Unilateral de Paz . Aprendi no curso de direito que acordo exige a convergência de interesses das partes envolvidas.

Assim é na guerra e no amor. Só brigam dois quando dois querem. O amor só prospera quando os dois amam.

Eu torço pela paz em Gaza. Eu busco a paz em meu convívio e quando me vejo envolvida em um conflito que não criei sinto-me mal. Ainda que meu apelo não seja ouvido, faço o que está ao meu alcance nesse sentido. Assim venho conduzindo a minha vida. Assim cuido dos meus. Quantos às crianças da Faixa de Gaza, só me resta rezar.



Evelyne Furtado, 26 de janeiro de 2009.

Um comentário:

DOUGLAS disse...

A paz, visto por nós, que amamos a paz, e somos capazes de ver até onde vai nossa opinião e começa a da outra parte. Guerras sem fim, sem porque,sem ver que amar é tão bom. Adorei suas colocações, parabéns.