sábado, 13 de setembro de 2008

NUDEZ.


Despiu
"a velha roupa colorida"
um vento forte
sacudiu
a alma exposta de
verdades cruas
ruiu
imagem esculpida
dores ao mundo
expandiu
acordou dois dias após
em faces rubras sua nudez
cobriu.

Evelyne Furtado.
Imagem Google.

5 comentários:

lara disse...

Nossa, linda poesia. depois passa no meu blog: http://pintandoasunhas.zip.net/
abraços.

Celamar Maione disse...

Linda e bem feminina a poesia, Evelyne. Adorei. Beijão

lara disse...

Obrigado pelo comentário. Volte quando quiser. Se der me add no msn: lara_pmc@hotmail.com
beijos e boa semana pra você tbm.

Evelyne Furtado disse...

Obrigada, Lara! Volte sempre! Bjs e boa semana para vc também.

Celamar, amiga, é muito bom recebê-la por aqui. Beijão, boa semana e até amanhã no C-se!

AnadoCastelo disse...

Poesia linda. E deixar a alma a descoberto é complicado. Compreendo as faces rubras.
Jokas