quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

De volta à vida.


Naquele dia Clarice acordou e não viu nenhum motivo para sair da cama. Nada a empolgava. Não havia nenhum compromisso que valesse à pena. Nenhum programa bom a fazer. Nem mesmo um livro bom a tiraria daquele torpor. Parecia a Clarice que nenhum dos seus sonhos havia sobrevivido à realidade chata que a rodeava. Será que nunca mais teria uma daquelas conversas instigantes que a faziam vibrar? Será que não haveria um lugar no mundo que a fizesse programar uma viagem para conhecer? Clarice pensou nas pessoas que conhecia e de quem gostava. Não queria deixar de vê-las, mas não agora. Deixaria para depois. Pensou se ainda conheceria alguém interessante, que trouxesse alegria a sua vida e duvidou. Relembrou de músicas que tocaram seu coração e até cantarolou, porém não passou disso. Apenas avivou sua memória afetiva, com os momentos intensos, ternos e românticos. Clarice chegou a sorrir ao lembrar dos abraços, beijos e carícias trocados, no entanto também sentiu vontade de chorar. E foi aí que ela percebeu que estava trancando seus sentimentos para não se decepcionar. Eliminando expectativas ela não se frustraria, mas também não viveria com ardor. E Clarice chorou todas as decepções e mágoas. Um pranto sentido e soluçado. Um pranto que a deixou com os olhos inchados, mas alforriou toda tristeza do seu peito. Lúcida, se deu conta que havia muito tempo que vivia assim: sobrevivendo, pisando no freio da imaginação e recalcando os desejos. Havia motivo para levantar da cama. Estava viva e com um apetite louco. Mataria o primeiro desejo no café da manhã. Depois decidiria o que fazer. Tinha sonhos antigos e alguns fresquinhos para usufruir.

4 comentários:

Laura disse...

"Solo se trata de vivir, esa es la historia.Con un amor, sin un amor, con la inocencia y la ternura
de todos los dias, a lo mejor resulta bien"...diz uma cancao de Fito Paez

texto lindo Vequi!

Evelyne Furtado disse...

Oi, Laurita!
Que linda canção! Só queremos isso, não é?
Tão simples e tão bom...
Obrigada, hermanita.
Beijo enorme e um ótimo dia para você.
Te adoro!

AnadoCastelo disse...

Nós em Portugal dizemos que chorar lava a alma. E às vezes dá certo, foi o que aconteceu à Clarice. Infelizmente quantas mulheres não há que vivem assim. Mas há que procurar caminho e bola para a frente.
Jokas

Evelyne Furtado disse...

Ana, aqui também dizemos isso. Chorar lava a alma, mesmo! Obrigada pela visita que me deixa feliz!
Beijos