sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Sem Estilo



Escrevo poemas sem estilo

Penso muito

Amo intensamente

Choro copiosamente

Sou casa e rua

Sou casta e nua

Louca e sã

Tudo ao meu modo

Vivo a vida sem estilo

Mas bem educada

Não ultrapasso a linha imaginária

Que divide o bem do mal

Sou vasta e muitas

Humana e mulher

Tímida e ousada

Com e sem estilo.
Evelyne Furtado

4 comentários:

Capitão-Mor disse...

Bom fim de semana!

Evelyne Furtado disse...

Obrigada, Capitão!
Para você também!
Bjs

Magali disse...

Exatamente! acertou em cheio..meu blog é como a Bolsa Amarela onde se guarda a vontade de crescer com a vontade de ser menino mais um alfinete e um galo falante..kkkkkkk
ou seja, é completamente sem nexo, apenas um plano de fuga mental. adorei suas poesias moça...agora, é impressão minha ou você envia/enviou um de seus textos para O mossoroense já?..eu tenho a impressão de já ter visto seu nome por lá.
Obrigada pelo elogio, visite quando quiser (e pode me esperar por aqui).
Bom fim de semana.

Evelyne Furtado disse...

Oi, Magali!
Adorei sua visita. Gosto desse estilo "sem estilo" e tudo dentro dessa bolsa amarela.
Beijos