quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Como uma Onda.

Encontro-me só. Recentemente recebo a melancolia ao entardecer. Ela vem e se instala. Faz o que a melancolia costuma fazer. Sinto-me só. Sinto falta de alguém. Tenho vontade de chorar. E choro. Lembro seu olhar que muitas vezes não consegui decifrar, mas me bastava nele mergulhar, para me sentir viva. Ouço o canto dos pássaros, alheios a esse desconfortável estado de espírito no qual me encontro. Um bonito coral. Oferecerei um café a visitante. Eu adoro café, quem sabe ela também gosta. Mas e se ela passar a me visitar com mais freqüência só pelo cafezinho? Pensarei no assunto. Lembrei de uma música de Lulu Santos, ou melhor "da música", pois todo mundo conhece Como Uma Onda ( Zen Surfismo):

”.Tudo muda o tempo todo.
No mundo.
Não adianta fugir.
Nem mentir pra si mesmo agora,
Há tanta vida lá fora.
Aqui dentro sempre.
Como uma onda no mar"

É mais ou menos assim que me sinto. Há muita gente lá fora. Alguns eu convidaria a entrar. Há muita gente aqui dentro também que, talvez me fizessem melhor se saíssem de vez. Porém, eu me apego às pessoas boas que gostam de mim.
Por enquanto, estamos eu, a melancolia e um coração cheio de amor e saudade. É assim a vida a Lulu Santos: " Nada do que foi será do jeito que já foi um dia. Tudo passa. Tudo sempre passará". De repente ela, a Sra. Melancolia, vai embora e a alegria volta a me acompanhar. É o que espero para já.

Evelyne Furtado, em 15 de novembro de 2007.

5 comentários:

Maríita disse...

Estava aqui a pensar, quando a Sra. Melancolia aparecer para tomar café, tu convida-la para se sentar à mesa, tens uma boa conversa com ela, daquelas conversas muito honestas que temos com os amigos de longa data. Depois, convida-la a sair e só regressar daqui a uns meses. É que existem amigos que é bom não ver com muita frequência, eles exigem muito de nós.

De todas as formas, eu ofereço-me para tomar um café contigo, nem que seja virtual :o)!

Beijinhos

Evelyne Furtado disse...

Oi, amiga!
Obrigada pelo carinho. Eu converso com ela sim. Faço uma catárse das perdas e ela vai. Tomara que não repita muito ás visitas.
Quanto ao café, tomeremos muitos. Quem sabe aqui ou em Lisboa. Por enquanto virtuais.
Beijos

laura disse...

Vê este lado Vequi:
A Dona Melancolia faz parte desse rico universo íntimo que tens, e se cada café com ela vai te render textos como este...bem-vinda seja!
Mas, como falava um certo General aqui "todo en su medida y armoniosamente"; portanto prepara agora um bom cafezinho para compartilhar conosco!rs

"Tudo passa. Tudo sempre passará" Essa linha da música de Lulu adquire dimensoes bem diferentes dependendo daquilo que tem q passar, vc sabe amiga querida!
beijos e abraço, feliz de voltar a ler-te!

Evelyne Furtado disse...

Linda Laurita!
Que bom ter minha leitora querida de volta. Sinal que as coisas melhoram em B.Aires e que os corações estão mais serenos.Fico feliz. você sabe. Obrigada, querida. Com você não há melancolia, mas muitos cafézinhos e alegria.
Gosto muito do Lulu e essa música de letra tão simples ( acho que de Nelson Mota) é um hino de minha geração que as gerações posteriores continuam cantando. O simples é bom, rs.
Beijão.

Lusófona disse...

Olá Evelyne!! Faz tempo que não venho aqui...

Eu tenho um pouco de melancolia no inverno, mas tenho lutado contra esse desgaste mental, afinal, o frio não deve ser um motivo para sentir-me assim. Adoro o sol, o calor e logo acho que vou à Natal :) Estou muito feliz por isso, como você sabe, adoro essa cidade.

Beijinhos e fica bem